Saltar os Menus

Notícias

5 de Janeiro de 2015

Documento do mês de janeiro

No mês de janeiro o Arquivo Distrital de Évora apresenta vários documentos referentes a Hernâni António Cidade.

Prestigiado professor, ensaísta, historiador e crítico literário português, nasceu em terras alentejanas, mais precisamente na vila de Redondo, a 7 de Fevereiro de 1887, filho de António Bernardino Cidade, abegão de profissão, e de Genoveva da Purificação Madeira, moradores no Outeiro de São Pedro. Depois de uma vida dedicada à cultura veio a falecer em Évora a 2 de Janeiro de 1975.

O Arquivo Distrital de Évora não quis deixar passar em branco a data do seu falecimento, bem como a data do nascimento que se avizinha, agraciando o nome de Hernâni António Cidade. Divulgando os seus registos de batismo e também a sua passagem pelo Seminário Diocesano de Évora, no qual frequentou o Curso de Teologia e mostrou intenção de prosseguir a vida religiosa.

Documento n.º 1 – Hernâni Cidade foi batizado com o nome “Ernando” a 20 de Fevereiro de 1887, registo nº 23, na Igreja de Nossa Senhora da Anunciação, Matriz de Redondo, pelo Pároco Alexandre Manuel Pita.

Cota – Paróquia de Redondo, liv. 110, registo de batismo  nº 23, f. 9

Nascimento

Documento n.º 2 – O registo foi retificado e lavrado no livro de registos de batismo do ano de 1900, depois do consentimento do Arcebispo de Évora. A retificação do registo de batismo foi lavrada a 5 de Julho de 1900, registo nº 66, na dita Igreja de Redondo. Foi então registado com o nome de “Ernani”.

No mesmo registo consta averbado o casamento do mesmo a 1 de Julho de 1920, na cidade do Porto, com Aida Feio de Oliveira Tâmega, natural da freguesia de Bonfim, da cidade do Porto, filha de Manuel José de Oliveira Tâmega e de Carolina Gomes de Oliveira Tâmega. Também está averbado o óbito da esposa, em 28 de Agosto de 1963, na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.

Cota – Paróquia de Redondo, liv. 173, registo de batismo  nº 66, f. 31 e 31 vº

Mudança de nome e averbamento de casamento

3

 

Documento n.º 3 – Processo de diligências “de genere” de Hernâni Cidade. A 7 de Fevereiro de 1907 pediu para se habilitar “de genere”, para ser promovido a prima tonsura e aos quatro graus de ordens menores. Frequentava na altura o 2º ano de Teologia no Seminário Diocesano de Évora. Teve classificação de Bom em comportamento religioso, moral e civil, depois de ser examinado e praticado os exercícios espirituais foi julgado apto para ser promovido, a 24 de Maio de 1907.

Cota – Câmara Eclesiástica de Évora, Processo de habilitação “de genere”, Mç. 214, nº 1855

2

1

 

Esta notícia foi publicada em 5 de Janeiro de 2015 e foi arquivada em: Documento do mês.

Comente esta notícia