Saltar os Menus

Notícias

24 de Julho de 2017

Documento do mês de julho de 2017

Faz no dia 29 de julho precisamente 209 anos que a cidade de Évora foi invadida pelas tropas francesas comandadas pelo General Loison. Na defesa da cidade juntaram-se às tropas eborenses as de Vila Viçosa e de Juromenha, bem como um grande número de populares e religiosos que lutaram corajosamente para fazer frente ao exército francês e impedir que o mesmo entrasse na cidade. Mas os franceses conseguiram quebrar o cerco das muralhas e entraram abruptamente matando quem se encontrava nas ruas, nas praças e nas Igrejas, deixando um funesto rasto de destruição.

O documento do mês de julho que disponibilizamos contém uma lembrança, datada de 3 de julho de 1814, sobre o assassinato de religiosos aquando da Invasão Francesa à cidade.

Descreve o nome dos religiosos que, no dia 29 de julho de 1808, foram presos pelos franceses e encarcerados nas “casas na Orta dos Meninos Orfâos“, onde aguardaram a morte. A nota refere que no dia 30 de julho estes foram fuzilados e os seus corpos sepultados “junto do Valado da Orta dos Leoens”, onde permaneceram até ao dia 27 de junho de 1814.

Indica, ainda, que no dia 27 de junho de 1814 os seus ossos foram desenterrados e transladados para a Igreja de São Bartolomeu, onde se juntaram também as ossadas de outros cónegos assassinados.

Relata também que na presença de diversas entidades eclesiásticas realizou-se um cortejo fúnebre, no qual o esquife com as ossadas foi levado para a Sé Catedral. No dia seguinte celebrou-se uma cerimónia fúnebre em memória dos religiosos e os seus ossos foram depositados na Capela de Santa Ana em “campa de pedra” e com a inscrição seguinte “Sacerdotes, fuzilados pelos francezes em 1808: Livro dos óbitos de 1814m folhas 51”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cota: Paróquia da Sé, Óbitos, 1810-1824, liv. 92, f. 51 a 52 vº

Esta notícia foi publicada em 24 de Julho de 2017 e foi arquivada em: Documento do mês, Documento em destaque.

Comente esta notícia