Saltar os Menus

Notícias

18 de Julho de 2019

Documento do mês de julho de 2019

O documento do mês de julho é dedicado a António Anselmo Dias, um dos maiores comerciantes da cidade de Évora dos finais do séc. XIX. Pioneiro no desenvolvimento das grandes superfícies comerciais, tinha o seu estabelecimento, designado por “Centro Industrial e Comercial”, sediado no número 136 da rua João de Deus.

Este possuía Fábrica a Vapor de amêndoas de vários tipos e sabores (lisas, com açúcar, aromáticas, torradas, finas, grossas, com cores, cruas ou só com açúcar), chocolates (em paus de 40, 50, 100 e 250 gramas e em rolo de 200 gramas, variando o preço consoante a qualidade de 1ª até à 6ª), torrefação e moagem de café.

Dedicou-se ao comércio por grosso e a retalho de todos os artigos de mercearia, fabricação de confeitaria e outros produtos, tais como: algodão para meias, bacalhau, chá canto, feijão, grão de bico, manteigas de vaca (de Nandufe, Praia d’Ancora, Valpedre, Santo António e Conselheiro de Miguel Dantas; fornecidas ao quilo ou em barris), banha de porco, toucinho e carnes ensacadas, rebuçados, tripa de porco e tripa de vaca, farinhas, tabacos, sabão, papelaria, fósforos, papel para fumar, ferragens (pás e forquilhas), quinquilharias, louças, vidros, licores, aguardentes, vinho do porto, azeite, cereais e legumes.

Num tempo em que poucas eram as casas que tinham eletricidade, tanto na cidade como em povoações próximas, salienta-se que António Anselmo Dias era Agente da Colonial Oil Company, fornecedor de gasolina para carros e petróleo russo e americano, fornecido em barris, latas ou a granel que abastecia grande parte da população, utilizado no uso doméstico, nomeadamente nos fogões e candeeiros.

Este estimado comerciante, bem conhecido de todos os eborenses, era natural da freguesia do Cano, concelho de Sousel, nascido a 9 de janeiro de 1857. Era filho de Anselmo António e de Mariana Augusta, residente em Évora. Casou com D. Maria Amália de Sousa e Brito Maldonado Bandeira em 1876, conforme consta no processo de casamento do fundo da Câmara Eclesiástica. Deslocou-se várias vezes ao estrangeiro, como é exemplo a viagem em negócios que fez a Espanha e a França em 1916, conforme passaporte também detido pelo Arquivo Distrital de Évora.

 

 

 

 

 

 

 

 

Cota: PT/ADEVR/MIS/SCMEVR//C/010/001 Cx. 15, doc. 31

Esta notícia foi publicada em 18 de Julho de 2019 e foi arquivada em: Documento do mês, Documento em destaque.

Arquivo Distrital de Évora