Saltar os Menus

Notícias

4 de Julho de 2020

Documento do mês de julho de 2020

No âmbito da “Estratégia Nacional para a Integração e Não Discriminação” destacamos como documento do mês de julho o exame a que estavam sujeitos os cidadãos, pelos examinadores dos seus ofícios, para poderem exercer as suas profissões. O documento escolhido é a cópia de uns autos de exame feito “na Arte de Parteira” a Ana Angélica, natural e moradora na cidade de Évora.

Ana Angélica, casada com Francisco Janeiro, solicitou a Luís Eusébio Pereira da Silva Pacheco, Juiz Comissário Subdelegado do Delegado Geral do Cirurgião-mor do Reino nas Comarca de Évora e Avis, que fosse admitida a exame para poder exercer o cargo de parteira, alegando que frequentara o ofício de parteira durante dois anos e pretendia fazer “uso da sua Arte”.

O juiz nomeou João José do Rego, cirurgião aprovado, que exercia o seu ofício no Hospital da Misericórdia de Évora, para proceder ao Exame de Parteira.

No auto de exame a opositora foi interrogada com questões sobre o parto natural, os seus sinais, o modo de ajudar o mesmo, as suas consequências e sobre o conhecimento das circunstâncias em que devia convocar o cirurgião aprovado para cuidar da expedição do parto “no caso de ser dificultoso ou laborioso”. Tudo em conformidade com o regimento do ofício. Ana Angélica ficou aprovada para o cargo e concederam-lhe 15 dias, depois de pagas as despesas do processo, para solicitar a carta de aprovação junto do Juízo Superior da Delegação Geral do Cirurgião-mor do Reino de Lisboa.

Data: 16 de julho de 1825

 

Cota: Tribunal da Comarca de Évora, Mç. 6, doc. 18-A

Esta notícia foi publicada em 4 de Julho de 2020 e foi arquivada em: Documento do mês, Documento em destaque.
Arquivo Distrital de Évora